Estação de Campo Limpo Paulista será totalmente reconstruída

A estação atual interfere com as novas vias proposta para os trens de carga e para o TIC. Uma nova estação em plataforma central e com dois novos elevadores deverá substituir a edificação atual
Estação Campo Limpo Paulista deverá ser completamente reconstruída (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

A estação Campo Limpo Paulista será uma das paradas do TIM que sofrerá grandes modificações. O projeto que está inserido dentro da PPP do Trem Intercidades, que também contempla a Linha 7-Rubi da CPTM, visa uma completa reformulação da estação de forma que novas vias possam ser inseridas na faixa de domínio, ao mesmo tempo que as questões sobre acessibilidade são solucionadas.

Proposta para a estação Campo Limpo Paulista (STM)

O prédio atual da estação Campo Limpo Paulista foi construído entre os anos de 1977 e 1979. A estação possui a disposição das plataformas de forma lateral, fazendo com que o passageiro precise se deslocar por uma passagem não acessível caso queira acessar a plataforma oposta ao do acesso que entrou.

O projeto do TIC prevê a criação de uma nova linha para o serviço expresso, além da via segregada de carga da MRS logística que deverá interferir diretamente com a estação, motivando assim sua reestruturação.

A solução adotada será a completa reconstrução da estação, que agora deverá contar com uma plataforma central, facilitando o deslocamento dos passageiros que terão acesso aos trens no sentido Jundiaí/Campinas e Francisco Morato pelo mesmo ambiente.

Uma nova passarela também deverá ser construída promovendo o acesso dos passageiros, bem como a transposição entre as margens da via férrea.

Planta da estação Campo Limpo Paulista (STM)

O acesso oeste da estação, que localiza em um declive, deverá ter seu acesso realizado pelo próprio nível da rua, enquanto o acesso leste, mais próximo ao terminal de ônibus, contará com um módulo de acesso vertical com escadas fixas, rampas e um elevador.

O novo mezanino da estação estará localizado na parte intermediária da passarela. Uma nova bilheteria deverá ser construída, assim como uma SSO moderna e uma linha de bloqueios que dividirá a área paga do ambiente de livre circulação.

Os passageiros, após acessarem a área paga da estação poderão ter acesso à plataforma por escadas fixas e por um segundo elevador. Cabe citar que haverá a necessidade de poucas desapropriações na região do acesso leste.

Corte da estação Campo Limpo Paulista (STM)

Antes da reformulação da estação, que é uma atribuição delegada para a futura concessionária, o governo do estado deverá realizar investimentos prévios para viabilizar a implantação da linha segregadas de carga da MRS Logística.

A ideia é criar uma nova passarela pública totalmente acessível, uma vez que o acesso leste da estação estará interditado devido a implantação da nova linha. A passarela deverá estar ligada com o terminal de ônibus e com a margem oeste da estação.

Intervenções previas na estação Campo Limpo Paulista (STM)

O terminal de ônibus deverá ser reformulado devido ao espaço que será utilizado para a implantação da via da MRS, essa modificação também se estenderá para o viário local que deverá sofrer mudanças. Apesar das imagens divulgadas pela MRS não serem claras, subentende-se que o acesso oeste deverá sofrer mudanças quanto à acessibilidade.

As rampas de cruzamento da estação que existem hoje deverão ser completamente demolidas, uma vez que vão interferir com o novo plano de via proposto. A edificação ainda será mantida durante a fase preliminar e vai ser utilizada como área operacional da CPTM.

Remoção de interferências na estação Campo Limpo Paulista (STM)

O site está elaborando uma série de matérias sobre as reformulações das estações da Linha 7-Rubi. Você pode acessar nossos artigos nos links abaixo:

Total
26
Shares
4 comments
  1. Com o projeto do TIC e a segregação do trem cargueiro,todas as estações no eixo do ramal linha 7 deverão passar por adequações. Portanto é chover no molhado as matérias por obras em cada estação. O que seria mais apreciável a forma de como será o projeto de concessão da linha em um todo e os ajustes em parceria com a MRS

  2. Finalmente. O que temos no momento é uma obra descabida. Uma escada com uma infinidade de degraus irregulares. Para acessar o lado contrário. Ou a opção de uma rampa que somada uma a outra dá o tamanho praticamente do viaduto. Uma das estações mais feias do estado de SP.

  3. Mais 3 estações entre, Botujuru e Jundiaí,…..Vila Chacrinha, Promeca e Vila Cristo.
    No trecho entre Jundiaí e Campinas,também mais estações entre as cidades.
    MOBILIDADE URBANA.
    FOI SUGERIDO HÁ 35 anos.

Comments are closed.

Previous Post

Vídeo do Metrô mostra estação Vila Sônia praticamente pronta

Next Post

Com Campo Limpo em operação, restam apenas três estações sem portas de plataforma na Linha 5

Related Posts